Première classe A1 Iniciante

Cultura(s): o lugar das mulheres no mundo do trabalho

Regardez la vidéo. Complétez chaque phrase en choisissant la bonne réponse.
Assista ao vídeo. Complete as frases selecionando a resposta correta.
Choisissez la réponse dans le menu déroulant Help on how to respond the exercice
PC-Travail-Metier-Cult-PlaceFemmeDAffaire-Jakarta-Video
Sylvia Sumarlin est une femme|une dame|une demoiselle|un homme d’affaires. Sylvia Sumarlin travaille dans un monde d’hommes|de femmes|de femmes et d’hommes. Sylvia Sumarlin travaille dans les technologies de l’information|dans l’information|dans la communication. Pour une femme, travailler dans les technologies de l’information, c’est rare|normal|fréquent.

nbOk resposta(s) correta(s) de nb

Atenção

Parabéns!

Conception: Geneviève Briet, Université catholique de Louvain
Published on 04/05/2013 - Modified on 10/12/2019
Traduzir
Sylvia Sumarlin, Présidente de Dyviacom
Être une femme d'affaires dans un monde d'hommes, car je travaille dans les technologies de l'information, c'est rare, c'est un privilège je pense.

Sylvia Sumarlin, Presidente de Dyviacom Ser uma mulher de negócios em um mundo de homens, porque eu trabalho na área de tecnologia da informação, é raro, eu acho que é um privilégio.

Cultura(s) / O lugar das mulheres no mundo do trabalho

O lugar das mulheres no mundo do trabalhoNo seu país, na sua cultura, existem mulheres de negócios? É comum ou raro? Como você reagiria se o seu patrão ou diretor geral fosse uma mulher? Nos filmes, programas de televisão ou novelas de sua cultura, em que medida os homens e as mulheres são representados como seres independentes, com poder de decisão e iniciativa? "Mais de 30 anos após a chegada massiva das mulheres às "Grandes Écoles" (universidades de alto nível) e apesar de uma população feminina ativa de 46%, as mulheres representam apenas 6% dos conselhos administrativos das empresas e menos de 5% entre os presidentes de grandes empresas francesas." ©Observatório do OCDE n° 267, maio-junho de 2008 Uma empresa pode ser dirigida por uma mulher (é o caso da TV5MONDE), porém, de maneira geral, na França as mulheres ocupam menos cargos de responsabilidade e recebem salários inferiores aos dos homens com o mesmo nível de qualificação. Além disso, as mulheres trabalham mais em meio período do que os homens. Trabalhar e ter filhos No seu país, na sua cultura, quem cuida dos filhos durante o dia? É a mãe, o pai, os avós, os vizinhos, a babá? Existem soluções para acolher as crianças enquanto as mulheres exercem uma atividade profissional? Como você, enquanto pai ou mãe, reagiria se você tivesse a possibilidade de tirar uma licença de 2 semanas a 6 meses para cuidar de seu filho pequeno? Nos países francófonos ocidentais, as mães têm direito a uma licença-maternidade: 16 semanas na França e 18 semanas no Quebec. Existe também uma licença-paternidade quando a criança nasce. Na França, a licença-paternidade (11 dias, que se somam aos 3 dias dados no nascimento) existe desde 2002. Ela é cada vez mais valorizada: cerca de 70% dos pais tiram essa licença hoje em dia. Agora é finalmente possível tirar uma "licença parental de educação" remunerada durante um curto período. Na França e na Bélgica, as crianças de menos de 3 anos podem ir à creche ou ficar com uma babá, o que permite que os pais continuem a trabalhar. Mas também é possível que a mãe fique com as crianças em casa. É raro que o pai renuncie temporariamente a uma atividade profissional para cuidar dos filhos.

Você também vai gostar