Cultura(s) / O acesso à moradia

A1 Iniciante
Em seu país, em sua cultura, é importante ter domicílio fixo? É fácil encontrar uma moradia? Os valores dos aluguéis são acessíveis? Muitas pessoas moram na mesma residência por escolha, tradição ou necessidade? Procura-se ter um espaço pessoal para cada membro da família, até mesmo para as crianças? É necessário comprovar um salário regular? Dois em cada três europeus consideram que se tornou difícil encontrar uma residência decente com um preço razoável em suas regiões. (Le Soir, 26 de março de 2010). Sem um domicílio comprovado pela prefeitura, é difícil ter um trabalho, uma conta bancária e não é possível receber correspondência. Mesmo que se tenha dinheiro para pagar o aluguel, deve-se comprovar ter um contrato de trabalho fixo, ter um fiador ou apresentar um salário alto e obrigatoriamente ter os documentos de identidade, assim como os papéis do visto de residência. Mesmo que os candidatos tenham um bom salário, os proprietários são muito desconfiados e podem se recusar a alugar um apartamento com três quartos para uma família com três crianças. É cada vez mais comum que as crianças, desde o seu nascimento, durmam sozinhas em um quarto, ao contrário de países como o Vietnã, onde as crianças dormem com seus pais até os seis anos. Quando se chega a um país, como a família Mizaoui, pode-se ter a sorte de ser recebido primeiramente na casa de amigos ou encontrar um hotel barato ou um albergue, antes de alugar uma quitinete, um apartamento ou uma casa.